quinta-feira, 14 de maio de 2009

Relembrando Cannes


por Marcelo Miranda


Em vias de começar a maratona 2009 do Festival de Cannes e copiando descaradamente a ideia do colega Saymon Nascimento, listo abaixo 16 filmes cronologicamente ganhadores da Palma de Ouro e que, de uma forma ou outra, me ajudaram a olhar o cinema como arte total e completa.


















A Doce Vida (1960), de Federico Fellini


Viridiana (1961), de Luis Buñuel


O Pagador de Promessas (1962), de Anselmo Duarte


O Leopardo (1963), de Luchino Visconti


Os Guarda-Chuvas do Amor (1964), de Jacques Demy


Blow-up (1967), de Michelangelo Antonioni


If... (1969), de Lindsay Anderson


Taxi Driver (1976), de Martin Scorsese


All That Jazz (1980), de Bob Fosse


A Balada de Narayama (1983), de Shohei Imamura


Coração Selvagem (1990), de David Lynch


Pulp Fiction (1994), de Quentin Tarantino


Gosto de Cereja (1997), de Abbas Kiarostami


Rosetta (1999), de Jean-Pierre e Luc Dardenne


Dançando no Escuro (2000), de Lars Von Trier


Elefante (2003), de Gus Van Sant

E para você? Quais seriam seus favoritos dentre os ganhadores de Cannes? Se precisar refrescar a memória, a lista está aqui.

7 comentários:

Leo Cunha disse...

Dizer os favoritos é coisa impossível. Mais fácil é admitir a vergonha de nunca ter assistido:

A Eternidade e um Dia
Underground
O homem de ferro
O tambor
A árvore dos tamancos
Crônica dos anos de fogo
Uma tão longa ausência
Sublime tentação
O mundo do silêncio

Adilson Marcelino disse...

Na minha lista, além dos seus - menos Rosetta, que não assisti - acrescentaria O Tambor e Pai Patrão.

Abs,

Marcelo Miranda disse...

Se entrassem vencedores do Grand Prix (dado em anos que não tinha Palma de Ouro), podia rolar O SALÁRIO DO MEDO, do Clouzot, que é um filme inacreditável.

Saymon Nascimento disse...

Dias para comentar aqui e sempre deixo para depois. Caretice não incluir os GPS. É o "vencedor do festival", e basta.

Marcelo disse...

Não foi caretice, foi opção safada pra diminuir a possibilidade da lista ter uns 20, em vez de "apenas" 16.

Carlos Quintão disse...

Meus acréscimos:

- A ÁRVORE DOS TAMANCOS de Ermanno Olmi
- QUANDO VOAM AS CEGONHAS de Mikhail Kalatozov
- PAI PATRÃO dos Taviani
- O ESPANTALHO do Schatzberg
- PARIS, TEXAS do Wenders
- PELLE, O CONQUISTADOR de Bille August
- O QUARTO DO FILHO de Nanni Moretti

Lembro de ter gostado também do A ETERNIDADE E UM DIA.

E concordo com os demais da lista do Miranda, menos o DANÇANDO NO ESCURO.

Marcelo Miranda disse...

Dançando no Escuro é controverso mesmo! Gosto de O QUARTO DO FILHO, mas é um filme que nunca mais me deu curiosidade ou ânsia de rever. Foi bom ali na sala, e depois não sobrou muito. Mas acho lindo, sem dúvida.